Fumo que desvanece

Gosto do fogo mas o fumo desperta um especial interesse em mim. Envolto em mistério, está condenado à morte desde o principio. Cresce, espalha-se, ocupa o maior espaço possível antes de morrer. Desvanece com a mesma naturalidade com que nasceu. Gosto de fumo. Gosto da subtil maneira de avisar que algo se passa ou passou. Gosto do erotismo ao que o associo e gosto do efeito visual que provoca. Gosto de provocações. Ver a materialização do desejo é sempre um momento pelo qual espero ansiosamente. O fumo é isso mesmo, quando é de cigarro ou de uma chávena de café acabado de fazer, é símbolo da concretização de um desejo. Desejos, vontades, lembranças do que está ou esteve ali.



Às vezes o que sentimos é tão nebuloso, tão difícil de explicar. Repleta de paradoxos e contradições, espero que o pó assente antes que me perca nesta névoa de complexidade.

publicado por verbistantum às 23:31 | link do post | comentar