Algo no Ar

Há diferentes maneiras de acordar. Bruscamente, calmamente, alerta, assustado.
Ela estava no meio de um acordar agradável, a luz a filtrar através da janela o calor do sol que chegava aos cobertores, aquecendo-os tanto ou mais do que ela os aquecia.

Um tom de cor apoderou-se das suas maçãs do rosto. Ela abriu os olhos e olhou para o tecto. Imagens fragmentadas daquela tarde passeavam na sua memória, e até isso era suficiente para fazer as suas mãos começarem a delinear círculos pela barriga abaixo.

Sente arrepios que descem desde o peito até ao interior que ambas as coxas e afasta os lábios como que a tentar alcançar o sabor fantasma que ainda tinha a impressão de conseguir saborear.

publicado por verbistantum às 13:07 | link do post | comentar